Festa da Dedicação da Basílica de São João de Latrão
Nota Histórica
Antífona de Entrada
Salmo Responsorial
Apresentação dos Dons
Antífona de Comunhão
Pós Comunhão
Final
Nota Histórica

  A Basílica Lateranense (de São João de Latrão) é considerada a Igreja-mãe de todas as igrejas de Roma e do mundo. Esta festa celebra, por isso a unidade com a Sé romana. Esta a Basílica foi a primeira a ser construída depois do edito do imperador Constantino que, em 313, concedeu aos cristãos a liberdade de praticar a sua religião. O mesmo imperador doou ao Papa Melquíades a antiga propriedade da família dos Lateranenses e nela fez construir a Basílica, o Batistério e a "Patriarquia", ou seja, a residência do Bispo de Roma, onde os Papas habitaram até ao período de Avinhão. A dedicação da Basílica foi celebrada pelo Papa Silvestre por volta de 324 e o templo foi intitulado ao Santíssimo Salvador; só depois do século VI foram acrescentados os títulos dos Santos João Batista e João Evangelista, que deram origem à comum denominação.

   Pelo menos desde o século XII, segundo uma tradição, celebra-se neste o aniversário da dedicação da Basília. Esta data interessou primeiro só a cidade de Roma; depois, a partir de 1565, alargou-se a todas as Igrejas de rito romano. Desta forma, honrando o edifício sagrado, pretende-se expressar amor e veneração à Igreja romana que, como afirma Santo Inácio de Antioquia, "preside na caridade" toda a comunhão católica (Rm 1, 1).

Antífona de Entrada

Ap 21, 2.10
Eu vi a cidade santa, a nova Jerusalém,
que descia do Céu, resplandecente da glória de Deus,
como noiva adornada para o seu esposo.

• Eu vi a cidade santa – F. Santos (BML, 42 | CCM, p. 23 | ENPL, XV | NCT, 311)
• Eu vi a cidade santa – M. Luís (CAC, p. 312)
• Eu vi a cidade santa – A. Lesbordes (LAU)
• Eu vi a nova Jerusalém - I – F. Santos (ENPL, XV | NCT, 613)
• Eu vi a nova Jerusalém - II – F. Santos (LHC III, p.401)

[Outras Sugestões]

• Como é agradável a vossa morada – J. Santos (NRMS, 84)
• Deus vive na sua morada santa – I. Rodrigues (CN, p. 363)
• Deus vive na sua morada santa – F. Santos (BML, 47 | CEC II, p. 83-85 | IC, p. 427-428 | NCT, 216 | NRMS, 38)
• Iremos com alegria – M. Borda (IC, p. 457 | NRMS, 43)
• Iremos com alegria para a casa do Senhor – M. Luís (SRML, p. 330-331 | CN, 541)
• Jerusalém, cidade de Deus – Ar. Oliveira (IAC, p. 288)
• Jerusalém, cidade de Deus – C. Silva (NCT, 344 | OC, p. 141)
• Jerusalém, cidade santa – J. Santos (IC, p. 459 | NRMS, 49)
• Levantai ó portas – A. Cartageno (NRMS, 85)
• Levantai-vos pórticos antigos – M. Luís (LHC II, p. 484)
• Na Casa do Senhor – J. Santos (NRMS, 49)
• Na Casa do Senhor – M. Simões (NCT, 339)
• Nós somos as pedras vivas – F. Santos (BML, 42 | ENPL, XV | NCT, 346)
• O Senhor é admirável – J. Geada
• O Senhor santificou a sua morada - I – M. Simões (LHC III, p. 427)
• O Senhor santificou a sua morada - I – F. Santos (LHC III, p. 420)
• O Senhor santificou a sua morada - I – C. Silva (OC_2, p. 526-527)
• O Senhor santificou a sua morada - II – C. Silva (LHC III, p. 432)
• O Senhor santificou a sua morada - II – F. Santos (LHC III, p. 432)
• O Senhor santificou a sua morada - II – M. Simões (LHC III, p. 433)
• Óh! Que alegria quando me disseram – M. Faria (IC, p.514 | NRMS, 17, 67)
• Que alegria quando me disseram – F. Santos (BML, 38)
• Que alegria quando me disseram – M. Luís (SRML, p. 16-17)
• Somos a Igreja de Cristo – F. Silva (CPM, 1990)
• Somos a Igreja de Cristo – M. Silva (IC, p. 570-571 | NRMS, 17)
• Vamos com alegria – C. Silva (CAC, p. 261)
• Vamos com alegria para a casa do Senhor – Az. Oliveira (SRAO A, p. 10-11 | CSS, A-10)
• Vamos com alegria para a casa do Senhor – P. Cruz
• Vamos com alegria para a casa do Senhor – M. Simões (IC, p. 870 | NRMS, 49)
Leitura I

Ez 47, 1-2.8-9.12
«Vi a água sair do templo
e todos aqueles a quem chegou esta água foram salvos» (Ant. Vidi aquam)

Leitura da Profecia de Ezequiel
Naqueles dias,
o Anjo reconduziu-me à entrada do templo.
Debaixo do limiar da porta saía água em direcção ao Oriente,
pois a fachada do templo estava voltada para o Oriente.
As águas corriam da parte inferior,
do lado direito do templo, ao sul do altar.
O Anjo fez-me sair pela porta setentrional
e contornar o templo por fora,
até à porta exterior que está voltada para o Oriente.
As águas corriam do lado direito.
O Anjo disse-me:
«Esta água corre para a região oriental,
desce para Arabá e entra no mar,
para que as suas águas se tornem salubres.
Todo o ser vivo que se move na água onde chegar esta torrente
terá novo alento
e o peixe será mais abundante.
Porque aonde esta água chegar,
tornar-se-ão sãs as outras águas
e haverá vida por toda a parte aonde chegar esta torrente.
À beira da torrente, nas duas margens,
crescerá toda a espécie de árvores de fruto;
a sua folhagem não murchará, nem acabarão os seus frutos.
Todos os meses darão frutos novos,
porque as águas vêm do santuário.
Os frutos servirão de alimento e as folhas de remédio».
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial

Salmo 45 (46), 2-3.5-6.8-9 (R. 5)


Refrão: Os braços dum rio alegram a cidade de Deus,
a morada santa do Altíssimo.

Deus é o nosso refúgio e a nossa força,
auxílio sempre pronto na adversidade.
Por isso nada receamos ainda que a terra vacile
e os montes se precipitem no fundo do mar.

Os braços dum rio alegram a cidade de Deus,
a mais santa das moradas do Altíssimo.
Deus está no meio dela e a torna inabalável,
Deus a protege desde o romper da aurora.

O Senhor dos Exércitos está connosco,
o Deus de Jacob é a nossa fortaleza.
Vinde e contemplai as obras do Senhor,
as maravilhas que realizou na terra.
 

• Os braços do rio – F. Santos (NCT, 325)
• Os braços dum rio – A. Cartageno (SRML, p.394-395)
• Os braços dum rio – Az. Oliveira (SRAO C)
• Os braços dum rio – C. Silva (OC_2, p.233)
• Os braços dum rio – Ar. Oliveira (IAC)
Leitura II

1 Cor 3, 9c-11.16-17
«Vós sois templo de Deus»

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios
Irmãos:
Vós sois edifício de Deus.
Segundo a graça de Deus que me foi dada,
eu, como sábio arquitecto, coloquei o alicerce
e outro levanta o edifício.
Veja cada um como constrói:
ninguém pode colocar outro alicerce
além do que está posto, que é Jesus Cristo.
Não sabeis que sois templo de Deus
e que o Espírito de Deus habita em vós?
Se alguém destrói o templo de Deus, Deus o destruirá.
Porque o templo de Deus é santo
e vós sois esse templo.
Palavra do Senhor.

Aclamação ao Evangelho

2 Cr 7, 16
Escolhi e consagrei esta casa, diz o Senhor,
para que o meu nome esteja neste lugar para sempre. 

Evangelho

Jo 2, 13-22
«Falava do templo do seu Corpo»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Estava próxima a Páscoa dos judeus
e Jesus subiu a Jerusalém.
Encontrou no templo
os vendedores de bois, de ovelhas e de pombas
e os cambistas sentados às bancas.
Fez então um chicote de cordas
e expulsou-os a todos do templo, com as ovelhas e os bois;
deitou por terra o dinheiro dos cambistas
e derrubou-lhes as mesas;
e disse aos que vendiam pombas:
«Tirai tudo isto daqui;
não façais da casa de meu Pai casa de comércio».
Os discípulos recordaram-se do que estava escrito:
«Devora-me o zelo pela tua casa».
Então os judeus tomaram a palavra e perguntaram-Lhe:
«Que sinal nos dás de que podes proceder deste modo?».
Jesus respondeu-lhes:
«Destruí este templo e em três dias o levantarei».
Disseram os judeus:
«Foram precisos quarenta e seis anos para construir este templo
e Tu vais levantá-lo em três dias?».
Jesus, porém, falava do templo do seu Corpo.
Por isso, quando Ele ressuscitou dos mortos,
os discípulos lembraram-se do que tinha dito
e acreditaram na Escritura e na palavra de Jesus.
Palavra da salvação.

Apresentação dos Dons
• A minha casa é casa de oração – C. Silva (LHC III, p. 414)
• A minha casa é casa de oração - I – F. Santos (LHC III, p. 408)
• A minha casa é casa de oração - II – F. Santos (LHC III, p. 411)
• Como é agradável a vossa morada – J. Santos (NRMS, 84)
• Eu te saúdo ó Igreja – F. Santos (LHC III, p.401)
• Felizes os que habitam – B. Sousa (CPE, p. 158 | NCT, 385)
• Felizes os que habitam – M. Valença (NRMS, 48)
• Felizes os que moram – F. Santos (BML, 58-59 | NCT, 115)
• Felizes os que moram – M. Carneiro (RBP, p. 35-37)
• Felizes os que moram – M. Valença (IC, p. 452-453 | NRMS, 48)
• Felizes os que moram – F. Silva (IC, p. 453-454 | NRMS, 49)
• Jerusalém, cidade de Deus – Ar. Oliveira (IAC, p. 288)
• Jerusalém, cidade de Deus – C. Silva (NCT, 344 | OC, p. 141)
• Jerusalém, cidade santa – J. Santos (IC, p. 459 | NRMS, 49)
• Na Cidade de Deus – F. Santos (LHC III, p.405)
• Nova Jerusalém – F. Santos (LHC III, p.402)
• O Senhor santificou a sua morada - I – F. Santos (LHC III, p. 420)
• O Senhor santificou a sua morada - I – C. Silva (OC_2, p. 526-527)
• O Senhor santificou a sua morada - I – M. Simões (LHC III, p. 427)
• O Senhor santificou a sua morada - II – M. Simões (LHC III, p. 433)
• O Senhor santificou a sua morada - II – F. Santos (LHC III, p. 432)
• O Senhor santificou a sua morada - II – C. Silva (LHC III, p. 432)
• O templo de Deus é santo – C. Silva (OC, p. 92 | CN, 750)
• Sagrada Esposa de Cristo – M. Faria (NCT, 313 | NRMS, 12 - I)
• Sagrada Esposa de Cristo - I – F. Santos (BML, 118)
• Sagrada Esposa de Cristo - II – F. Santos (LHC III, p.399)
Antífona de Comunhão

cf. 1 Pedro 2, 5
Nós somos as pedras vivas do templo espiritual,
somos o sacerdócio santo de Deus.

• Nós somos as pedras vivas – F. Santos (BML, 42 | ENPL, XV | NCT, 346)
• Nós somos as pedras vivas – M. Luís (CAC, p. 470 | NCT, 312 | BS, p. 239)

[Outras Sugestões]

• A minha casa é casa de oração – C. Silva (LHC III, p. 414)
• A minha casa é casa de oração - I – F. Santos (LHC III, p. 408)
• A minha casa é casa de oração - II – F. Santos (LHC III, p. 411)
• As aves do céu encontram abrigo – Ar. Oliveira (IAC, p. 83)
• Da vossa santa morada – F. Santos (BML, 128-129 | CEC I, p. 172-173 | ENPL, XXIV)
• Destruí este templo, diz o Senhor – F. Santos (CP I, p. 298)
• Destruí este templo, diz o Senhor – M. Luís (LHC II, p. 504 | LHC TP, p. 57)
• Destruí este templo, diz o Senhor – T. Sousa (LHC II, p. 340)
• Louva, Jerusalém, o Senhor – Ar. Oliveira (IAC, p. 303)
• Louva, Jerusalém, o Senhor – F. Valente (BML, 145-146)
• Louva, Jerusalém, o Senhor – Az. Oliveira (CEC II, p.97-98 | IC, p. 464-465 | NCT, 345 | NRMS, 55)
• Nós somos as pedras vivas – M. Luís (CAC, p. 470 | NCT, 312 | BS, p. 239)
• Nós somos as pedras vivas – F. Santos (BML, 42 | ENPL, XV | NCT, 346)
• Zaqueu, desce depressa – F. Santos (LHC III, p. 419)
Pós Comunhão
• A minha casa é casa de oração – C. Silva (LHC III, p. 414)
• A minha casa é casa de oração - I – F. Santos (LHC III, p. 408)
• A minha casa é casa de oração - II – F. Santos (LHC III, p. 411)
• Bendito sejais no templo – C. Silva (LHC III, p.415)
• Bendito sejais no templo - I – F. Santos (LHC III, p.409)
• Bendito sejais no templo - II – F. Santos
• Como é belo o vosso templo – C. Silva (OC_2, p. 71)
• Deus connosco, Deus em nós – F. Silva (IC, p.424 | NRMS, 49)
• Eis a morada de Deus – Ar. Oliveira (CN, 387)
• Eis a morada de Deus – J. Davide Barros (OCL)
• Felizes os que habitam – M. Valença (NRMS, 48)
• Felizes os que habitam – B. Sousa (CPE, p. 158 | NCT, 385)
• Felizes os que moram – M. Carneiro (RBP, p. 35-37)
• Felizes os que moram – F. Silva (IC, p. 453-454 | NRMS, 49)
• Felizes os que moram – F. Santos (BML, 58-59 | NCT, 115)
• Felizes os que moram – M. Valença (IC, p. 452-453 | NRMS, 48)
• Na Casa do Senhor – M. Simões (NCT, 339)
• Na Casa do Senhor – J. Santos (NRMS, 49)
• O templo de Deus é santo – C. Silva (OC, p. 92 | CN, 750)
• Óh! Que alegria quando me disseram – M. Faria (IC, p.514 | NRMS, 17, 67)
• Que alegria quando me disseram – M. Luís (SRML, p. 16-17)
• Que alegria quando me disseram – F. Santos (BML, 38)
• Zaqueu, desce depressa – F. Santos (LHC III, p. 419)
Final
• Os povos Vos louvem, ó Deus – Az. Oliveira (SRAO A, p. 144-145)
• Cristo ontem, Cristo hoje – J. P. Lecót (ENPL, XXVI)
• Grandes e admiráveis – F. Santos (BML, 103-104 | NCT, 611)
• Hinos de glória – G. F. Haendel
• Jubilate Deo – S. Vicente, J. P. Lecót (SF)
• Nós somos a Igreja – A. Cartageno (NRMS, 133)
• Os povos vos louvem – A. Cartageno (ENPL, XXX)
• Os povos Vos louvem, Senhor – F. Silva (CPM, 1987)
[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[BS] António Cartageno - Bendizei o Senhor, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2021.
[CAC] Pe. Manuel Luís - Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CCM] Cânticos para a Celebração do Matrimónio – I e II, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2018.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3.ª ed, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CEC II] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1999.
[CN] Cantoral Nacional para Liturgia, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019..
[CP I] Con. António Ferreira dos Santos - Canto Perene, vol. 1, Secretariado Diocesano de Liturgia, Porto, 2003.
[CPE] Cânticos para as Exéquias, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2008.
[CPM] Pe. José Fernandes da Silva - Cânticos para Missa, Edição do autor.
[CSS] Pe. António Azevedo de Oliveira - Cantai Salmos ao Senhor - Salmos Responsoriais, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019..
[ENPL] Guiões dos Encontros Nacionais de Pastoral Litúrgica, Fátima.
[IAC] Pe. Artur Oliveira - In Aeternum Cantabo, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2021.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[LAU] Laudate: Cânticos e Orações, Edição para uso interno das comunidades paroquiais sem fins lucrativos, Leiria.
[LHC II] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2003.
[LHC III] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 3, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2012.
[LHC TP] Liturgia das Horas para Canto - Tríduo Pascal, Secretariado Nacional de Liturgia, 2020.
[NCT] Novo Cantemos Todos, Editorial Missões, Cucujães,1990.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] Con. Carlos da Silva - Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[OC_2] Con. Carlos Silva - Ora Cantando, 2ª edição, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2014.
[OCL] Pró-manuscrito , publicado pelo site O Canto na Liturgia.
[RBP] Pe. Miguel Carneiro - Ressuscitou o Bom Pastor, Paulus Editora, Lisboa, 2007.
[SF] Obras inéditas compostas para o Santuário de Fátima - Santuário de Fátima, -.
[SRAO A] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano A, Música Sacra, Braga, 1989.
[SRAO C] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano C, Música Sacra, Braga, 1991.
[SRML] Pe. Manuel Luís - Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.