Solenidade da Epifania do Senhor
Antífona de Entrada
Salmo Responsorial
Aclamação ao Evangelho
Apresentação dos dons
Antífona de Comunhão
Ósculação
Antífona de Entrada

(cf. Mal 3, 1; 1 Cron 19, 12)
"Eis que vem o Senhor soberano.
A realeza, o poder e o império estão nas suas mãos."

• É chegado o Senhor soberano – F. Santos (BML, 34)
• Eis que vem o Senhor – F. Santos (NRMS, 47)
• Eis que vem o Senhor – J. Geada (SDLG)
• Eis que vem o Senhor – M. Carneiro (GD, p. 122-124)
• Eis que vem o Senhor – M. Simões (CEC I, p. 74)

[Outras Sugestões]

• Adeste Fideles – D. João IV (CEC I, p. 65 | IC, p. 119 | NCT, 85 | NRMS, 31)
• Levanta-te, Jerusalém, e resplandece – T. Sousa (CS-TS, p. 18-19)
• Levanta-te, Jerusalém, eis a tua luz – F. Santos (BML, 9 | CEC I, p. 75)
• Surge e resplandece, Jerusalém – M. Simões (SC I, p. 8-9)
• Surge e resplandece, Jerusalém – M. Simões (SC II, p. 10-11)
• Surge, Jerusalém, e resplandece – Az. Oliveira (IC, p. 150-151 | NRMS, 47)
• Surge, Jerusalém, e resplandece – M. Luís (CAC, p. 119-121)
Leitura I

Is 60, 1-6 
«Brilha sobre ti a glória do Senhor» 
Como uma cidade, construída sobre um monte, atrai o olhar de todos, ao ser iluminada pelo sol nascente, assim Jerusalém, iluminada pelo Nascimento de Jesus, atrai a si todos os povos, mergulhados na noite do pecado. 
Será, porém, na Igreja, nova Jerusalém, que Deus reunirá todos os homens, para lhes dar a salvação. Será n’Ela que se constituirá, definitivamente, a comunidade dos povos. «A luz dos povos é Cristo – Mas a Sua luz resplandece no rosto da Sua Igreja» (LG. n.° 1). Ela é, na verdade, o sinal e o instrumento de união com Deus e de unidade de todo o género humano. 

Leitura do Livro de Isaías 
Levanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor. Vê como a noite cobre a terra e a escuridão os povos. Mas, sobre ti levanta-Se o Senhor e a sua glória te ilumina. As nações caminharão à tua luz e os reis ao esplendor da tua aurora. Olha ao redor e vê: todos se reúnem e vêm ao teu encontro; os teus filhos vão chegar de longe e as tuas filhas são trazidas nos braços. Quando o vires ficarás radiante, palpitará e dilatar-se-á o teu coração, pois a ti afluirão os tesouros do mar, a ti virão ter as riquezas das nações. Invadir-te-á uma multidão de camelos, de dromedários de Madiã e Efá. Virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor. 
Palavra do Senhor. 

Salmo Responsorial

Salmo 71 (72), 2.7-8.10-11.12-13 (R. cf. 11) 

Virão adorar-Vos, Senhor, 
todos os povos da terra. 

Ó Deus, concedei ao rei o poder de julgar 
e a vossa justiça ao filho do rei. 
Ele governará o vosso povo com justiça 
e os vossos pobres com equidade.  

Florescerá a justiça nos seus dias 
e uma grande paz até ao fim dos tempos. 
Ele dominará de um ao outro mar, 
do grande rio até aos confins da terra.  

Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes, 
os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas. 
Prostrar-se-ão diante dele todos os reis, 
todos os povos o hão-de servir.  

Socorrerá o pobre que pede auxílio 
e o miserável que não tem amparo. 
Terá compaixão dos fracos e dos pobres 
e defenderá a vida dos oprimidos. 
 

• Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra – Az. Oliveira (SRAO A, p. 32-33 | SRAO B, p. 32-33 | SRAO C, p. 32-33)
• Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra – M. Carneiro (GD, p. 146-147 | SRMC A, p. 28-19 | SRMC B, p. 28-19 | SRMC C, p. 28-19)
Leitura II

Ef 3, 2-3a.5-6 
Os gentios recebem a mesma herança prometida 
O universalismo de Isaías era um pouco limitado; os estrangeiros não estavam em posição de igualdade com os filhos de Israel. S. Paulo, descrevendo o plano salvífico de Deus, proclama que todos os homens são chamados, igualmente, a ser herdeiros da Promessa. 
Como consequência deste chamamento universal para a Fé, toda a separação, toda a discriminação, introduzidas na humanidade por culturas e civilizações, desaparecem. Todos são chamados a formar o verdadeiro Israel e a constituir um só Corpo – o Corpo Místico de Cristo – restabelecendo-se assim o plano primitivo de Deus acerca da humanidade, que era um projecto de unidade e amor. 

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios 
Irmãos: Certamente já ouvistes falar da graça que Deus me confiou a vosso favor: por uma revelação, foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. Nas gerações passadas, ele não foi dado a conhecer aos filhos dos homens como agora foi revelado pelo Espírito Santo aos seus santos apóstolos e profetas: os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho. 
Palavra do Senhor.

Aclamação ao Evangelho

V/
Vimos a sua estrela no Oriente 
e viemos adorar o Senhor.

Evangelho

Mt 2, 1-12 
«Viemos do Oriente adorar o Rei» 
Frente ao mistério do Nascimento de Jesus, S. Mateus procura, sobretudo, contemplá-Lo à Luz do primeiro encontro do mundo pagão com o Salvador, de que os magos são as primícias e os representantes. Sublinhando, de modo expressivo, a universalidade da Mensagem cristã, dirigida a todos os homens, mesmo àqueles que, segundo as concepções estreitas do Judaísmo, viviam fora da Geografia e da História da Salvação, o evangelista mostra como na visita dos Magos, se realizam as profecias do A. T. 
Não deixa também de o impressionar, em contraste com o orgulho e cegueira de Herodes e dos sábios de Israel, a boa vontade dos Magos, que, atentos aos sinais dos Tempos, se dispõem a correr a aventura da Fé. 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 
Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou-lhes onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-l’O». Ouvido o rei, puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho. 
Palavra da salvação. 
 

Apresentação dos dons
• Adorabunt eum – P. Miranda (Libellus, 2)
• Adorai a Deus – M. Luís (CAC, p. 78-79)
• Brilha a Luz da sua Glória – F. Santos (BML, 34 | CN, 260)
• És principe, vestido de esplendor – M. Luís (BML, 44 | CAC, p. 88-89 | CEC I, p. 62)
• Hoje uma grande luz – F. Santos (BML, 9)
• Jesus, sol da justiça – F. Santos (BML, 39)
• Nasceu Jesus – F. Santos (BML, 24)
• Os céus proclamam as vossas maravilhas – F. Santos (BML, 49 | NCT, 72)
Antífona de Comunhão

(cf. Mt 2, 2)
"Vimos a sua estrela no Oriente 
e viemos com presentes adorar o Senhor.

• Nós vimos a sua estrela – F. Santos (BML, 49 | CEC I, p. 76-77 | NCT, 77)
• Viemos adorar o Senhor – M. Carneiro (GD, p. 125-127)
• Vimos a sua estrela – Ar. Oliveira
• Vimos a sua estrela – J. Geada (SDLG)
• Vimos a sua estrela – F. Silva (IC, p. 177-178 | NRMS, 68)

[Outras Sugestões]

• A Vida que estava junto do Pai – A. Cartageno (CEC I, 56-57 | NRMS, 56 | CN, 160)
Ósculação
• Adeste Fideles – D. João IV (CEC I, p. 65 | IC, p. 119 | NCT, 85 | NRMS, 31)
• Ah! Vinde todos à porfia [Cantava em nossas campinas] – Pop. Francesa (CEC I, p. 64 | GD, p. 158)
• Alegrem-se os Céus – Az. Oliveira (IC, 120 | NRMS, 44)
• Alegrem-se os Céus e a terra – F. Lapa (OCL)
• Alegrem-se os céus, exulte a terra – M. Luís (CAC, p. 428-429 | CN, 196)
• Anjos e pastores – F. Silva (IC, p. 121 | LHC II, p. 33 | NCT, 479 | NRMS, 31, 108)
• Anjos e pastores – F. Santos (BML, 150-151)
• Anjos e pastores – J. P. Martins (LHC II, p. 33)
• Cantem, cantem os Anjos – M. Faria (IC, p. 124-125 | NCT, 81 | NRMS, 56 | CN, 284)
• Cantemos à porfia – C. Silva, João Santos (Libellus, 2 | OC, p. 59)
• Cristo nasceu – C. Silva (CEC I, p. 63 | OC, p. 287 | CN, 322)
• Cristo Nasceu – C. Silva (LHC II, p. 197)
• Cristo Nasceu – M. Luís (LHC II, p. 196)
• Glória a Vós, Jesus Menino – J. Santos (IC, p. 134 | NRMS, 76)
• Hoje Cristo Nasceu – I. Rodrigues
• Na pobre aldeia de Belém – M. Luís (CAC, p. 107-108)
• O Primeiro Natal – D. Willcocks, Pop. Inglesa (OCL)
• Pastores que andais na serra – F. Lapa, Popular (OCL)
• Paz na terra – B. Sousa
• Quem vistes pastores? – M. Luís (BML, 44 | CAC, p. 117-118 | NCT, 82)
• Vamos a Belém beijar o menino – M. Faria, Popular (IC, p. 155 | NRMS, 4)
• Vamos a Belém beijar o menino – M. Simões (NRMS, 120)
• Vamos todos a Belém – Az. Oliveira (IC, p. 156-157 | NRMS, 15)
• Vamos todos a Belém – M. Luís (CAC, p. 130-131)
• Vêm a Belém [Still, Still, Still] – J. C. Miranda, Trad. Austríaca (OCL)
[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[CAC] Pe. Manuel Luís - Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3.ª ed, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CN] Cantoral Nacional para Liturgia, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019..
[CS-TS] Pe. Teodoro Sousa - Conduzi-me, Senhor, Lisboa, 2001.
[GD] Pe. Miguel Carneiro - Glória a Deus, Paulus Editora, Lisboa, 2006.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[LHC II] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2003.
[Libellus] Libellus - Revista de Música Sacra, Libellus Usualis - Divulgação de Música Sacra.
[NCT] Novo Cantemos Todos, Editorial Missões, Cucujães,1990.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] Con. Carlos da Silva - Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[OCL] Pró-manuscrito , publicado pelo site O Canto na Liturgia.
[SC I] Pe. Manuel Simões - Salmos e Cânticos, vol. 1, Instituto Nun’Alvres, Caldas da Saúde, 1970.
[SC II] Pe. Manuel Simões - Salmos e Cânticos, vol. 2, Instituto Nun’Alvres, Caldas da Saúde, 1971.
[SDLG] Secretariado Diocesano de Liturgia da Guarda, -.
[SRAO A] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano A, Música Sacra, Braga, 1989.
[SRAO B] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano B, Música Sacra, Braga, 1990.
[SRAO C] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano C, Música Sacra, Braga, 1991.
[SRMC A] Pe. Miguel Carneiro - Eu Vos Louvarei, Senhor: Salmos Responsoriais – Ano A, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRMC B] Pe. Miguel Carneiro - Deus fez maravilhas: Salmos Responsoriais – Ano B, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRMC C] Pe. Miguel Carneiro - Povo do Senhor, exulta e canta: Salmos Responsoriais – Ano C, Paulus Editora, Lisboa, 2009.
[SRML] Pe. Manuel Luís - Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.