Domingo VI do Tempo Comum | Ano A
Antífona de Entrada
Salmo Responsorial
Apresentação dos Dons
Antífona de Comunhão
Pós-Comunhão
Final
Antífona de Entrada

Sede a rocha do meu refúgio, Senhor,
e a fortaleza da minha salvação.
Para glória do vosso nome, guiai-me e conduzi-me.
Salmo 30, 3-4
 

• Rochedo, meu abrigo – Az. Oliveira (CEC II, p. 32-33 | IC, p. 544 | NRMS, 94)
• Sede a rocha do meu refúgio – M. Simões (CEC II, p. 33-34 | CN, 903)
• Sede a rocha do meu refúgio – F. Lapa (BML, 117)

[Outras Sugestões]

• Conduzi-me Senhor – T. Sousa (CS-TS, p. 3 | CN, 311)
Leitura I

Sir 15, 16-21 (15-20)
«Não mandou a ninguém fazer o mal»
Todas as orientações que a palavra de Deus nos dá são luz a iluminar o nosso caminho, para assim melhor chegarmos até Ele. A moral, como se diz, do povo de Deus não é uma lei negativa, mas auxílio para ele se orientar. Esta lei não destrói a liberdade do homem, antes se lhe oferece como ajuda. São sempre dois os caminhos possíveis e nenhum deles escapa ao olhar de Deus; ao homem pertence agora a escolha.

Leitura do Livro de Ben-Sirá
Se quiseres, guardarás os mandamentos: ser fiel depende da tua vontade. Deus pôs diante de ti o fogo e a água: estenderás a mão para o que desejares. Diante do homem estão a vida e a morte: o que ele escolher, isso lhe será dado. Porque é grande a sabedoria do Senhor, Ele é forte e poderoso e vê todas as coisas. Seus olhos estão sobre aqueles que O temem, Ele conhece todas as coisas do homem. Não mandou a ninguém fazer o mal, nem deu licença a ninguém de cometer o pecado.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial

Salmo 118 (119), 1-2.4-5.17-18.33-34 (R. 1b)

Refrão: Ditoso o que anda na lei do Senhor.

Felizes os que seguem o caminho perfeito
e andam na lei do Senhor.
Felizes os que observam as suas ordens
e O procuram de todo o coração.

Promulgastes os vossos preceitos
para se cumprirem fielmente.
Oxalá meus caminhos sejam firmes
na observância dos vossos decretos.

Fazei bem ao vosso servo:
viverei e cumprirei a vossa palavra.
Abri, Senhor, os meus olhos
para ver as maravilhas da vossa lei.

Ensinai-me, Senhor, o caminho dos vossos decretos,
para ser fiel até ao fim.
Dai-me entendimento para guardar a vossa lei
e para a cumprir de todo o coração.

• Ditoso o que anda na lei do Senhor – Az. Oliveira (SRAO A, p. 116-117)
• Ditoso o que anda na lei do Senhor – F. Santos (BML, 86-87 | LS-A, p. 175)
• Ditoso o que anda na lei do Senhor – M. Luís (SRML, p. 116-117 | LS-A, p. 176)
Leitura II

1 Cor 2, 6-10
«Antes dos séculos Deus predestinou a sabedoria para a nossa glória»
O plano de Deus sobre este mundo é um mistério, que só foi completa e definitivamente revelado em Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo. Antes da Encarnação de Jesus Cristo, já ele ia sendo anunciado, mais ou menos claramente; mas a manifestação deste plano de salvação, que está acima de toda a sabedoria dos homens, brilha agora como maravilhoso dom celeste. Conhecê-lo não é conquista humana, mas dom divino, que havemos de acolher com humildade e em acção de graças.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo S. Paulo aos Coríntios
Irmãos: Nós falamos de sabedoria entre os perfeitos, mas de uma sabedoria que não é deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que vão ser destruidos. Falamos da sabedoria de Deus, misteriosa e oculta, que já antes dos séculos Deus tinha destinado para a nossa glória. Nenhum dos príncipes deste mundo a conheceu; porque se a tivessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória. Mas, como está escrito, «nem os olhos viram, nem os ouvidos escutaram, nem jamais passou pelo pensamento do homem o que Deus preparou para aqueles que O amam». Mas a nós Deus o revelou por meio do Espírito Santo, porque o Espírito Santo penetra todas as coisas, até o que há de mais profundo em Deus.
Palavra do Senhor.

Aclamação ao Evangelho

V/ Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos
os mistérios do reino.
(cf. Mt 11, 25)

Evangelho

FORMA LONGA Mt 5, 17-37
«Foi dito aos antigos... Eu, porém, digo-vos...»
Jesus veio a este mundo, e não desfez a Lei antiga, mas levou-a à perfeição, ensinando a entender o seu sentido profundo e a observá-la no íntimo do coração, no espírito e não apenas na letra. Por isso, o cristianismo, que tem as suas leis como todas as comunidades humanas, coloca a exigência profunda no amor, do qual as regras de vida são a expressão concreta e visível. O cristianismo tem, por isso, uma moral, mas não se reduz a uma lei moral.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim revogar, mas completar. Em verdade vos digo: Antes que passem o céu e a terra, não passará da Lei a mais pequena letra ou o mais pequeno sinal, sem que tudo se cumpra. Portanto, se alguém transgredir um só destes mandamentos, por mais pequenos que sejam, e ensinar assim aos homens, será o menor no reino dos Céus. Mas aquele que os praticar e ensinar será grande no reino dos Céus. Porque Eu vos digo: Se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos Céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não matarás; quem matar será submetido a julgamento’. Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que se irar contra o seu irmão será submetido a julgamento. Quem chamar imbecil a seu irmão será submetido ao Sinédrio, e quem lhe chamar louco será submetido à geena de fogo. Portanto, se fores apresentar a tua oferta ao altar e ali te recordares que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão e vem depois apresentar a tua oferta. Reconcilia-te com o teu adversário, enquanto vais com ele a caminho, não seja caso que te entregue ao juiz, o juiz ao guarda, e sejas metido na prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá, enquanto não pagares o último centavo. Ouvistes que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que olhar para uma mulher com maus desejos já cometeu adultério com ela no seu coração. Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e lança-o para longe de ti, pois é melhor perder-se um só dos teus olhos do que todo o corpo ser lançado na geena. E se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e lança-a para longe de ti, porque é melhor que se perca um só dos teus membros, do que todo o corpo ser lançado na geena. Também foi dito: ‘Quem repudiar sua mulher dê-lhe certidão de repúdio’. Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que repudiar sua mulher, salvo em caso de união ilegítima, expõe-na ao adultério. E quem se casar com uma repudiada comete adultério. Ouvistes ainda que foi dito aos antigos: ‘Não faltarás ao que tiveres jurado, mas cumprirás diante do Senhor o que juraste’. Eu, porém, digo-vos que não jureis em caso algum: nem pelo Céu, que é o trono de Deus; nem pela terra, que é o escabelo dos seus pés; nem por Jerusalém, que é a cidade do grande Rei. Também não jures pela tua cabeça, porque não podes fazer branco ou preto um só cabelo. A vossa linguagem deve ser: ‘Sim, sim; não, não’. O que passa disto vem do Maligno».
Palavra da salvação.


FORMA BREVE Mt 5, 20-22a.27-28.33-34a.37
«Foi dito aos antigos... Eu, porém, digo-vos...»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos Céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não matarás; quem matar será submetido a julgamento’. Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que se irar contra o seu irmão será submetido a julgamento. Ouvistes que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. Eu, porém, digo-vos: Todo aquele que olhar para uma mulher com maus desejos já cometeu adultério com ela no seu coração. Ouvistes ainda que foi dito aos antigos: ‘Não faltarás ao que tiveres jurado, mas cumprirás diante do Senhor o que juraste’. Eu, porém, digo-vos que não jureis em caso algum. A vossa linguagem deve ser: ‘Sim, sim; não, não’. O que passa disto vem do Maligno».
Palavra da salvação.

Apresentação dos Dons
• Troquemos o instante pelo eterno – M. Simões (IC, p. 253 | NRMS, 61)
Antífona de Comunhão

O Senhor deu-lhes o pão do Céu:
comeram e ficaram saciados.
Salmo 77, 24.29

• O Senhor deu-lhes o pão do Céu – Az. Oliveira (CEC II, p. 36-37 | ENPL, XIII)
• O Senhor deu-lhes o pão do Céu – F. Santos (BML, 58-59)
• O Senhor deu-lhes o pão do Céu – M. Luís (SRML, p. 230 | CN, 760)
• O Senhor deu-lhes o pão do céu – Az. Oliveira (SRAO B, p. 140-141)
• O Senhor deu-lhes o pão do céu – M. Carneiro (SRMC B, p. 116-117)
• O Senhor deu-lhes o pão do céu – Ar. Oliveira (IAC, p. 365)

Deus amou tanto o mundo que lhe deu
o seu Filho Unigénito.
Quem acredita n’Ele tem a vida eterna.
Jo 3, 16
 

• Deus amou de tal modo o mundo – Ar. Oliveira (IAC, p. 160)
• Deus amou de tal modo o mundo – J. P. Martins (LAU, 274)
• Deus amou de tal modo o mundo – M. Luís (CAC, p. 386-387 | CEC II, p. 34-35 | CN, p. 351)
• Deus amou de tal modo o mundo - II – F. Valente (BML, 141-142)

[Outras Sugestões]

• Aquele que praticar e ensinar – F. Santos (CP II, p.132)
• Buscai o alimento – M. Luís (CAC, p. 382-383)
• Se ao apresentar a tua oferta – F. Santos (CP II)
• Se cumprirdes os meus mandamentos – C. Silva (CEC I, p. 152 | CEC II, p. 37-38 | OC, p. 231)
• Se fores apresentar a tua oferta – I. Rodrigues (OCL)
Pós-Comunhão
• Buscai o alimento – M. Luís (CAC, p. 382-383)
• Conduzi-me Senhor – T. Sousa (CS-TS, p. 3 | CN, 311)
• Nem os olhos viram – C. Silva (OC, p.423 | OC_2, p.520)
Final
• Conduzi-me Senhor – T. Sousa (CS-TS, p. 3 | CN, 311)
• Povo teu somos, ó Senhor – A. Desconhecido (ENPL, XLIV | CN, p. 821)
[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[CAC] Pe. Manuel Luís - Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3.ª ed, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CEC II] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1999.
[CN] Cantoral Nacional para Liturgia, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019..
[CP II] Con. António Ferreira dos Santos - Canto Perene, vol. 2, Secretariado Diocesano de Liturgia, Porto, 2003.
[CS-TS] Pe. Teodoro Sousa - Conduzi-me, Senhor, Lisboa, 2001.
[ENPL] Guiões dos Encontros Nacionais de Pastoral Litúrgica, Fátima.
[IAC] Pe. Artur Oliveira - In Aeternum Cantabo, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2021.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[LAU] Laudate: Cânticos e Orações, Edição para uso interno das comunidades paroquiais sem fins lucrativos, Leiria.
[LS-A] Secretariado Nacional de Liturgia - Livro do Salmista - Ano C, Fátima, 2022.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] Con. Carlos da Silva - Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[OC_2] Con. Carlos Silva - Ora Cantando, 2ª edição, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2014.
[OCL] Pró-manuscrito , publicado pelo site O Canto na Liturgia.
[SRAO A] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano A, Música Sacra, Braga, 1989.
[SRAO B] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano B, Música Sacra, Braga, 1990.
[SRMC B] Pe. Miguel Carneiro - Deus fez maravilhas: Salmos Responsoriais – Ano B, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRML] Pe. Manuel Luís - Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.