Solenidade da Ascensão do Senhor
Antífona de Entrada
Salmo responsorial
Aclamação ao Evangelho
Apresentação dos dons
Antífona de Comunhão
Pós-Comunhão
Cântico Final
Antífona de Entrada

"Homens da Galileia, porque estais a olhar para o céu? 
Como vistes Jesus subir ao céu, assim há-de vir na sua glória. Aleluia."
(cf. Actos 1, 11)

• Homens da Galileia – A. Frade (CEC I, p. 154)
• Homens da Galileia – Ar. Oliveira
• Homens da Galileia – F. Valente (BML, 56)
• Homens da Galileia – M. Carneiro (RBP, p. 185-186)
• Homens da Galileia – M. Luís (CAC, p. 274-275 | CEC I, p. 153)
• Homens da Galileia – P. Miranda (Libellus, 3)

[Outras sugestões]

• Aclamai Jesus Cristo – F. Silva (IC, p. 319 | NCT, 178 | NRMS, 65 | CN, 174)
• Da terra aos Céus se eleva – J. Santos (IC, p. 320-321 | NRMS, 85)
• Levantai ó portas – A. Cartageno (NRMS, 85)
• Povos todos, vinde com júbilo – M. Luís (CEC II, p. 65-66)
• Povos, batei palmas – C. Silva (CEC II, p. 64-65 | OC, p. 212)
• Reinos da terra, cantai a Deus – F. Silva (IC, p. 327-328 | NRMS, 109 | CN, 858)
Leitura I

Actos 1, 1-11 
«Elevou-Se à vista deles» 

A Ascensão de Jesus é a última aparição do Ressuscitado que não só dá testemunho da verdade da Ressurreição, como faz compreender que Jesus vive agora na glória do Pai. A Ascensão manifesta assim o sentido pleno da Páscoa: depois de destruir o pecado e a morte com a sua Morte e Ressurreição, Jesus Cristo introduz o homem, que tinha assumido na Encarnação, na glória de seu Pai. O livro dos Actos dos Apóstolos, que apresenta a vida dos primeiros dias da Igreja, começa pela Ascensão do Senhor; assim nos é dado a compreender que a Igreja continua agora a presença de Jesus entre os homens, até que Ele venha, de novo, no fim dos tempos, para pôr o termo à história e nos sentar consigo à direita do Pai. 

Leitura dos Actos dos Apóstolos 
No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, desde o princípio até ao dia em que foi elevado ao Céu, depois de ter dado, pelo Espírito Santo, as suas instruções aos Apóstolos que escolhera. Foi também a eles que, depois da sua paixão, Se apresentou vivo com muitas provas, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando-lhes do reino de Deus. Um dia em que estava com eles à mesa, mandou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, «da qual – disse Ele – Me ouvistes falar. Na verdade, João baptizou com água; vós, porém, sereis baptizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias». Aqueles que se tinham reunido começaram a perguntar: «Senhor, é agora que vais restaurar o reino de Israel?». Ele respondeu-lhes: «Não vos compete saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a sua autoridade; mas recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria e até aos confins da terra». Dito isto, elevou-Se à vista deles e uma nuvem escondeu-O a seus olhos. E estando de olhar fito no Céu, enquanto Jesus Se afastava, apresentaram-se-lhes dois homens vestidos de branco, que disseram: «Homens da Galileia, porque estais a olhar para o Céu? Esse Jesus, que do meio de vós foi elevado para o Céu, virá do mesmo modo que O vistes ir para o Céu». 
Palavra do Senhor. 

Salmo responsorial

Salmo 46 (47), 2-3.6-7.8-9 (R. 6) 

Por entre aclamações e ao som da trombeta, 
ergue-Se Deus, o Senhor.

Ou: Ergue-Se Deus, o Senhor, 
em júbilo e ao som da trombeta.

Povos todos, batei palmas, 
aclamai a Deus com brados de alegria, 
porque o Senhor, o Altíssimo, é terrível, 
o Rei soberano de toda a terra.

Deus subiu entre aclamações, 
o Senhor subiu ao som da trombeta. 
Cantai hinos a Deus, cantai, 
cantai hinos ao nosso Rei, cantai.

Deus é Rei do universo: 
cantai os hinos mais belos. 
Deus reina sobre os povos, 
Deus está sentado no seu trono sagrado.

• Deus sobe por entre aclamações – Az. Oliveira (SRAO A, p. 96 (97) | SRAO B, p. 96 (97) | SRAO C, p. 96 (97))
• Ergue-se Deus, o Senhor – F. Santos (BML, 6)
• Ergue-se Deus, o Senhor – M. Luís (NCT, 183 | SRML, p. 94-95)
• Ergue-se Deus, o Senhor - I – B. Ferreira (OCL)
• Ergue-se Deus, o Senhor - II – B. Ferreira (OCL)
• Por entre aclamações – F. Silva (NRMS, 2 - I)
• Por entre aclamações – M. Carneiro (RBP, p. 240-241 | SRMC A, p. 74-75 | SRMC B, p. 76-77 | SRMC C, p. 76-77)
• Por entre aclamações – M. Luís (SRML, p. 92-93)
Leitura II

Ef 1, 17-23 
«Colocou-O à sua direita nos Céus» 

Sentando-se à direita do Pai, Jesus introduz a humanidade na comunhão definitiva com Deus. É este o fruto do seu sacrifício na Cruz, a comunhão com o Pai, e é a esperança de todos os que n’Ele crêem. 

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios 
Irmãos: O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria e de revelação para O conhecerdes plenamente e ilumine os olhos do vosso coração, para compreenderdes a esperança a que fostes chamados, os tesouros de glória da sua herança entre os santos e a incomensurável grandeza do seu poder para nós os crentes. Assim o mostra a eficácia da poderosa força que exerceu em Cristo, que Ele ressuscitou dos mortos e colocou à sua direita nos Céus, acima de todo o Principado, Poder, Virtude e Soberania, acima de todo o nome que é pronunciado, não só neste mundo, mas também no mundo que há-de vir. Tudo submeteu aos seus pés e pô-l’O acima de todas as coisas como Cabeça de toda a Igreja, que é o seu Corpo, a plenitude d’Aquele que preenche tudo em todos. 
Palavra do Senhor. 

 

Ou a seguinte leitura facultativa: 

LEITURA II Ef 4, 1-13 

«A medida de Cristo na sua plenitude» 
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios 
Irmãos: Eu, prisioneiro pela causa do Senhor, recomendo-vos que vos comporteis segundo a maneira de viver a que fostes chamados: procedei com toda a humildade, mansidão e paciência; 
suportai-vos uns aos outros com caridade; empenhai-vos em manter a unidade do espírito pelo vínculo da paz. Há um só Corpo e um só Espírito, como há uma só esperança na vida a que fostes chamados. Há um só Senhor, uma só fé, um só Baptismo. Há um só Deus e Pai de todos, que está acima de todos, actua em todos e em todos Se encontra. A cada um de nós foi concedida a graça, 
na medida em que recebeu o dom de Cristo. (Por isso diz a Escritura: «Subiu às alturas, sujeitou um grupo de cativos, concedeu dons aos homens». Que quer dizer «subiu», senão que também desceu às regiões inferiores da terra? Aquele que desceu é o mesmo que subiu acima de todos os céus, a fim de encher o universo.) Foi Ele também que a uns constituiu apóstolos, a outros evangelistas e a outros pastores e mestres, para o aperfeiçoamento dos cristãos, em ordem ao trabalho do ministério e à edificação do Corpo de Cristo, até que cheguemos todos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem perfeito, à medida de Cristo na sua plenitude. 
Palavra do Senhor.

Aclamação ao Evangelho

V/ Ide e ensinai todos os povos, diz o Senhor: 
Eu estou sempre convosco 
até ao fim dos tempos.

• Aleluia | Diz o Senhor: Ide e ensinai todos os povos – F. Santos (BML, 36)
Evangelho

Mc 16, 15-20 
«Foi elevado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus» 

Pela sua Encarnação o Filho de Deus desceu do Céu, fez-se homem, assumindo assim a condição de servo, e humilhou-Se ainda mais, obedecendo até à morte e morte de cruz; mas por isso Deus O exaltou, ressuscitando-O de entre os mortos e fazendo-O participar da sua glória, sentando-O à sua direita e dando-Lhe o nome que está acima de todos os nomes, o nome divino de Senhor: à humilhação na sua vida mortal corresponde agora a exaltação, que na Ascensão claramente se manifesta e nos milagres que se lhe hão-de seguir na vida da Igreja. 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos 
Naquele tempo, Jesus apareceu aos Onze e disse-lhes: «Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for baptizado será salvo; mas quem não acreditar será condenado. Eis os milagres que acompanharão os que acreditarem: expulsarão os demónios em meu nome; falarão novas línguas; se pegarem em serpentes ou beberem veneno, não sofrerão nenhum mal; e quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados». E assim o Senhor Jesus, depois de ter falado com eles, foi elevado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus. Eles partiram a pregar por toda a parte e o Senhor cooperava com eles, confirmando a sua palavra com os milagres que a acompanhavam. 
Palavra da salvação. 
 

Apresentação dos dons
• Aclamai Jesus Cristo – F. Silva (IC, p. 319 | NCT, 178 | NRMS, 65 | CN, 174)
• Da terra aos Céus se eleva – J. Santos (IC, p. 320-321 | NRMS, 85)
• O Espírito que procede do Pai – M. Luís (CAC, p. 286-287 | NCT, 196)
• O Pai vos enviará o Espírito Santo – F. Silva (IC, p. 341 | NRMS, 58)
• Recebereis a força do Espírito Santo – J. Santos (IC, p. 325-326 | NRMS, 82-83)
• Recebereis a força do Espírito Santo – Az. Oliveira (IC, p. 326-327 | NRMS, 85)
• Reinos da terra, cantai a Deus – F. Silva (IC, p. 327-328 | NRMS, 109 | CN, 858)
Antífona de Comunhão

"Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos. Aleluia."
(Mt 28, 20)

• Eu estou sempre convosco – Az. Oliveira (NRMS, 153-156 | CN, 438)
• Eu estou sempre convosco – C. Silva (CEC I, p. 155-156 | OC, p. 101)
• Eu estou sempre convosco – F. Lapa (BML, 101-102)
• Eu estou sempre convosco – M. Carneiro (RBP, p. 188-190)

[Outras sugestões]

• Ide por todo o mundo – J. Santos (CEC I, p. 171-172 | IC, p. 700-701 | NRMS, 59 | CN, 536)
• Ide por todo o mundo – M. Luís (CEC I, p. 173 | CN, 537)
Pós-Comunhão
• Louvai, louvai o Senhor – F. Silva (CEC II, p. 60-62 | IC, p. 322-323 | NRMS, 85)
• Da terra aos Céus se eleva – J. Santos (IC, p. 320-321 | NRMS, 85)
• Louvai o Senhor, povos de toda a terra – F. Santos (BML, 66-67 | CEC II, p. 62-63)
• Louvai o Senhor, povos de toda a terra – A. Cartageno (CEC II, p. 63-64)
• O Espírito que procede do Pai – M. Luís (CAC, p. 286-287 | NCT, 196)
• O Pai vos enviará o Espírito Santo – F. Silva (IC, p. 341 | NRMS, 58)
• Ó Rei da glória – M. Carvalho (IC, p. 323-324 | NRMS, 85)
• Porque ele está connosco – F. Santos (BML, 75; 135-136 | LHC I, p. 54-55)
• Recebereis a força do Espírito Santo – Az. Oliveira (IC, p. 326-327 | NRMS, 85)
• Recebereis a força do Espírito Santo – J. Santos (IC, p. 325-326 | NRMS, 82-83)
• Reinos da terra, cantai a Deus – F. Silva (IC, p. 327-328 | NRMS, 109 | CN, 858)
Cântico Final
• Louvai, louvai o Senhor – F. Silva (CEC II, p. 60-62 | IC, p. 322-323 | NRMS, 85)
• Aclamai Jesus Cristo – J. Santos (NRMS, 121)
• Diz o Senhor: Ide e ensinai – A. Cartageno (CEC II, p. 219 | ENPL, IX | CN, 373)
• Ide e proclamai – Ar. Oliveira
• Ide por todo o mundo – A. Cartageno (NCT, 318 | CN, 538)
• Ide por todo o mundo – M. Faria (IC, p. 699 | NRMS, 23 | CN, 535)
• Ide por todo o mundo – J. Santos (CEC I, p. 171-172 | IC, p. 700-701 | NRMS, 59 | CN, 536)
• Ide por todo o mundo – M. Luís (CEC I, p. 173 | CN, 537)
• Ide por todo o mundo – F. Santos (BML, 97-98 | CN, 534)
• Ide, fazei discípulos – F. Santos (ENPL, IV)
• Louvai o Senhor, povos de toda a terra – A. Cartageno (CEC II, p. 63-64)
• Louvai o Senhor, povos de toda a terra – F. Santos (BML, 66-67 | CEC II, p. 62-63)
• Os povos vos louvem – A. Cartageno (ENPL, XXX)
• Povos todos, vinde com júbilo – M. Luís (CEC II, p. 65-66)
• Povos, batei palmas – C. Silva (CEC II, p. 64-65 | OC, p. 212)
• Proclamai, proclamai entre as nações – A. Cartageno (ENPL, XLV)
[BML] Boletim de Música Litúrgica, Serviço Diocesano de Música Litúrgica, Porto.
[CAC] Pe. Manuel Luís - Cânticos da Assembleia Cristã, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2006.
[CEC I] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 1, 3.ª ed, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2007.
[CEC II] Cânticos de Entrada e Comunhão, vol. 2, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1999.
[CN] Cantoral Nacional para Liturgia, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2019..
[ENPL] Guiões dos Encontros Nacionais de Pastoral Litúrgica, Fátima.
[IC] A Igreja Canta, 2.ª ed, Comissão Bracarense de Música Sacra, 2005.
[LHC I] Liturgia das Horas: Edição para Canto, vol. 1, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 1997.
[Libellus] Libellus - Revista de Música Sacra, Libellus Usualis - Divulgação de Música Sacra.
[NCT] Novo Cantemos Todos, Editorial Missões, Cucujães,1990.
[NRMS] Nova Revista de Música Sacra, Comissão Bracarense de Música Sacra, Braga.
[OC] Con. Carlos da Silva - Orar Cantando, Secretariado Nacional de Liturgia, Fátima, 2001.
[OCL] Pró-manuscrito , publicado pelo site O Canto na Liturgia.
[RBP] Pe. Miguel Carneiro - Ressuscitou o Bom Pastor, Paulus Editora, Lisboa, 2007.
[SRAO A] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano A, Música Sacra, Braga, 1989.
[SRAO B] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano B, Música Sacra, Braga, 1990.
[SRAO C] Pe. António Azevedo de Oliveira - Salmos Responsoriais: Ano C, Música Sacra, Braga, 1991.
[SRMC A] Pe. Miguel Carneiro - Eu Vos Louvarei, Senhor: Salmos Responsoriais – Ano A, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRMC B] Pe. Miguel Carneiro - Deus fez maravilhas: Salmos Responsoriais – Ano B, Paulus Editora, Lisboa, 2008.
[SRMC C] Pe. Miguel Carneiro - Povo do Senhor, exulta e canta: Salmos Responsoriais – Ano C, Paulus Editora, Lisboa, 2009.
[SRML] Pe. Manuel Luís - Salmos Responsoriais e Aclamações ao Evangelho, Comissão de Liturgia e Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, Lisboa, 1997.